População de onças-pintadas cresce nas Américas

Os dados foram divulgados pela WCS - Wildlife Conservation Society, e referem-se a estudos realizados entre 2002 e 2016

A WCS (Wildlife Conservation Society) revelou dados de um estudo em reservas da América do Sul e Central numa área que compreendem 400.000 metros quadrados de habitat preservados aos felinos. Estima-se que 5.000 onças-pintadas entre as 60.000 presentes nas Américas estejam vivendo nas reservas da WCS. A população de onça-pintada (Panthera onca) cresceu 8% entre os anos de 2002 e 2016.

Mesmo os números sendo animadores, os maiores felinos das Américas ainda correm perigo de morte. As florestas estão sendo transformadas em áreas agrícolas e os predadores são um perigo para os criadores de gado. Para reverter este cenário a WCS juntamente com as comunidades locais e indígenas protegem o habitat da onça-pintada na comunidade de Tacana na Bolívia. A comunidade tem uma taxa 4 vezes menor de desmatamento em comparação a outras áreas não administradas pela sociedade de conservação. Tacana faz fronteiras com o Parque Nacional Madidi em Rurrenabaque na Bolívia onde a densidade das onças-pintadas triplicou desde 2002.

Elizabeth Bennett, vice-presidente de conservação da espécie na WCS diz que os resultados positivos vêm da parceria com as comunidades locais, agências governamentais e outros grupos de conservação."Podemos olhar para o futuro das onças nas Américas com otimismo". O anúncio foi feito em 03 de março, dia em que se comemora o Dia Internacional da Vida Selvagem.

Julie Kuen, vice-presidente do programa para a América na WCS ressalta que os animais ainda são alvo da caça, salientando que as presas são procuradas por mercados chineses. Em 2016 houve uma apreensão e 337 presas foram confiscadas.




Compartilhe este post