afecção da próstata

Entendendo a próstata dos cães

A hiperplasia prostática benigna apresenta alta incidência em cães.


À exemplo do outubro rosa, quando é feita uma ampla campanha para a conscientização da população para prevenção do tumor de mamas, em novembro a campanha é voltada para a conscientização da importância do câncer de próstata, já que em homens essa é a segunda maior causa de mortalidade por câncer. 

Porém em cães, a incidência do câncer de próstata é baixa, mas o aumento benigno da próstata é uma afecção que acomete  80% dos animais com idade acima dos 5 anos. Por ser uma condição benigna,  a hiperplasia prostática benigna- HPB não leva o animal à morte, mas causa diversos desconfortos na vida do cão idoso.

Enquanto a maioria dos mamíferos possui 3  glândulas anexas que  produzem líquido seminal, o cão só possui uma, a próstata. Portanto deve-se ter cuidado especial com esta glândula na espécie canina.

 A HPB  é uma afecção silenciosa, a próstata aumenta progressivamente com o passar dos anos, até causar compressão da uretra e do cólon, e então aparecem os sintomas, como dificuldade de urinar e defecar, alteração na forma das fezes ( fezes em forma de fita), e presença de sangue no sêmen. 

Esta afecção é desencadeada basicamente pela dihidrotestosterona- DHT ( hormônio responsável por regular a ação secretora da próstata e por seu crescimento) e  estrógeno, que é um agente indutor de receptores da DHT.  Como a grande parte desses hormônios esteróides são produzidos nos testículos, a HPB só acomete animais inteiros.

O tratamento mais comum é a castração, que promove a queda na produção hormonal, porém em casos de animais idosos que não podem ser submetidos à uma cirurgia ou em animais utilizados na reprodução pode-se fazer um tratamento não invasivo à base de finasterida, um agente inibidor da enzima  que converte a testosterona em dihidrotestosterona. 

Em geral, o diagnóstico da HPB é realizado quando o animal já apresenta os sintomas. O método diagnóstico mais simples é a palpação digital da próstata via retal, mas o diagnóstico mais preciso é realizado pela ultrasonografia transabdominal.

Por se tratar de uma afecção silenciosa, o ideal seria que o exame de palpação digital da próstata fosse realizado durante o exame clínico de rotina nos machos com idade acima de 5 anos, assim o médico veterinário poderia detectar a afecção antes do aparecimento dos sintomas e acompanhar a evolução, optando pelo tratamento adequado no momento certo, evitando assim que o animal apresente os sintomas mais severos.