Projeto Lontra em Florianópolis promove educação ambiental

O Centro também abriga animais órfãos resgatados e desenvolve pesquisas para a preservação das espécies

O Instituto Ekko Brasil ampara projetos de pesquisa que tenham como destaque a preservação da biodiversidade e o turismo de conservação.

Entre eles, destaca-se o Projeto Lontra que desde 1986 visa a recuperação, conservação e conhecimento da lontra neotropical (Lontra longicaudis), da ariranha (Pteronura brasiliensis) e outros animais da família mustelidae.

O Projeto Lontra possui duas bases, uma em Santa Catarina e outra no Pantanal do Mato Grosso do Sul, onde são desenvolvidos trabalhos de pesquisa, mobilização social e proteção da biodiversidade.

A base de Florianópolis, na Lagoa do Peri, conta com um Centro de Pesquisa, Conservação e Educação Ambiental, onde são desenvolvidas pesquisas, cursos e atividades voltadas ao ensino, capacitação e educação ambiental. Com alojamentos para ecovoluntários, pesquisadores, estudantes e turistas. 

No Centro, existe o Refúgio Animal, onde são abrigados os animais órfãos regatos pelo Projeto. O espaço conta com ambulatório para tratamento dos animais e laboratório onde são realizadas as pesquisas para a preservação das espécies.

No Pantanal, na cidade de Aquidauana, as pesquisas são feitas por meio de expedições nos rios e lagoas, além de trabalhos junto à comunidade promovendo a proteção das espécies.

Contando com a ajuda de voluntários, desde 2002, existe o Programa Ecovoluntário, onde turistas hospedam-se no hostel vivenciando e participando das ações de preservação. O investimento é revertido para as pesquisas, manutenção dos custos e trabalhos de educação ambiental.

Oldemar Carvalho Júnior, fundador do projeto explica que o animal é um sentinela da águas, pois enquanto estiver presente, há um equilíbrio entre o homem e a vida nos rios.

Veja mais...

Instituto Ekko Brasil



Compartilhe este post